Adicionar aos Favoritos :: Entrar em Contato  
   
 

CALVINISMO
De autoria do famoso estadista holandês Abraham Kuyper, este livro apresenta a coerência da visão calvinista da vida, firmada nas escrituras. Leia a resenha escrita pelo Rev. Itamar Alves de Araújo.

SOLA SCRIPTURA
Prefácio escrito para o livro do Rev. Paulo Anglada, ministro presbiteriano em Belém, PA. O livro traz o brado de SOLA SCRIPTURA com veemência e clareza como antídoto ao veneno contemporâneo do subjetivismo e existencialismo do homem sem Deus, que teima em se infiltrar na igreja cristã.

EU PREGAR?
Prefácio escrito para livro do Presb. Samuel Junqueira, da Igreja Presb. de Santo Amaro, em S. Paulo. Um livro destinado a pregadores leigos, com ensinamentos e sermões ilustrativos.

LEI E GRAÇA
Prefácio escrito para o livro do Rev. Dr. Mauro Meister, professor do Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper, da Universidade Mackenzie, um livro que explica como compreender esses grandes temas doutrinários, na Palavra de Deus.

A VIDA DEPOIS DA REENGENHARIA
Prefácio escrito para o livro "Empregue o Seu Talento" (S. Paulo: Cultura Editores Associados, 1999), de Gutemberg Macedo, presidente da Gutemberg Consultores, em S. Paulo. Um livro secular que examina as últimas tendências nas áreas de emprego e conexões empresariais de executivos.

AS IMPLICAÇÕES PRÁTICAS DO CALVINISMO
Prefácio para o livro de A. N. Martin, publicado pela Editora Os Puritanos.

O EVANGELHO DE HOJE: AUTÊNTICO OU SINTÉTICO?
Apresentação à edição brasileira do livro de Walter Chantry (S. Paulo: Ed. Fiel, 1980), tradução de Today's Gospel - Authentic or Synthetic, originalmente publicado Banner of Truth.

 

 
Vida e Influência de João Calvino

Ler Romanos 8:25-28; 11:33-36

1. Introdução : Nome conhecido no meio reformado; Conexão com o Presbiterianismo pela doutrina e pela influência exercida em John Knox (quando Knox esteve refugiado em Genebra: 1555-1558).

2. Cronologia:

Idade Ano Comentário
0 1509

Nascimento, em 10 de julho, na França. Tinha 8 anos quando Lutero pregou as 95 Teses, em 1517

19 1528

Inicia estudos de Teologia

20 1529

Atendendo vontade do pai, muda para Direito

22 1531

Inicia estudos de Grego e Hebraico. Penetra na Bíblia

23 1532

Data provável da Conversão

23 1532

Conversão

24 1533

É acusado de heresia

25 1534

Foge para Suíça

27 1536

Primeira edição das “INSTITUTAS” (Melhor tradução: Fundamentos da Religião Cristã)

29 1538

Conflito civil/eclesiástico. Sai de Genebra. Vai para Strassburgo. Casa. Escreve Comentário de Romanos

31 1540

Volta a Genebra, a convite

50 1559

Última edição das “Institutas” (cinco, ao todo)

55 1564

Vem a falecer

3. A Conversão de Calvino: (trecho de carta à Sadoleto – uma luta com Deus tão intensa, como foi a de Lutero)

“Deus em Sua secreta providência, freou-me e colocou-me em novo rumo. De início, embora eu fosse obstinadamente entregue à superstição do papado, o que dificultou tremendamente a minha retirada das profundezas do lamaçal, contudo, através de uma conversão repentina, Ele subjugou meu coração, tornando-o maleável, um coração, que não obstante a idade, encontrava-se excessivamente endurecido para tais assuntos”.

4. Base Principal da Teologia de Calvino:

A Doutrina da Soberania de Deus.

a. Ler apenas de Isaías:14.24 - 37.26 - 40.22 (ler comentário de Calvino) 46.9-11 (ler comentário de Calvino)55.11 (ler comentário de Calvino)

b. Os Cinco Pontos do Calvinismo (TELIP):

(1)   Total Depravação (Isa. 64.6; Rm 3.23)
(2)   Eleição Incondicional (Isa 65.1)
(3)   Limitada Expiação (Ef 5.25; Jo 10.3-4; 11; 15-16; 27; At 20.28; Hb 9.28; Ap 5.9)
(4)   Irresistível Graça (Jo 1.12-13)
(5)   Perseverança dos Santos (Is 54.10; Jo 5.24; 10.28; Rm 5.10; 8.30)

c. O pensamento de Calvino é mais próximo do que pensamos, das convicções de Lutero (Lutero escreveu: “A Prisão do Arbítrio” publicado em português como “Nascido Escravo”, ed. Fiel)

5. Influência de Calvino.

a.Atingiu todas as denominações –

A ênfase teológica, na realidade, procede de João à Paulo à Agostinho à Calvino

Calvino à Igrejas Reformadas
- Presbiterianos
- Congregacionais
- Batistas

b.Confissões históricas:
1561 – Confissão de Fé da Bélgica
1563 – Catecismo de Heildeberg
1571 – Trinta e Nove Artigos de Fé (Anglicanos)
1618 – Canons de Dordrecht (Dordt)
1648 – Confissão de Fé de Westminster (Presbiteriana)
1689 – Confissão de Fé de Londres (Batista)

6. Ênfases de João Calvino: Ele não originou doutrinas, mas à Sistematizou verdades das Escrituras!

5 Áreas chaves:

a.     Dependência nas Escrituras: Autoridade,Suficiência.
Escreveu seus Comentários em quase toda a Bíblia

b.     Forma de Governo da Igreja
Representativa, eleita. Presbiteriana (presbitérios/sínodos/assembléias).

Independente do Estado
Não existe autoridade humana mística, nem transmissão de geração em geração


c.     Teoria da Sociedade Civil

Bibliocracia
Não prescreve forma administrativa (monarquia/aristocracia/democracia)

Qualquer que seja, a autoridade é recebida de Deus, para Igreja e para o Estado. Nenhum está sujeito ao outro – atuam em esferas diferentes.
Contrasta com a idéia moderna do ESTAO SECULAR, que é divorciado da Igreja, da religião e também da Lei Divina.


d.     Virtude Cristã e o “CHAMADO”

Restauração da dignidade pessoal (Povo não era “gado”)
Teologia Sã

Excelência Moral

Glorificação de Deus em todas as esferas, para as quais Deus lhe vier a chamar.

e.       Evangelização (alguns acham  isso estranho - não é ele o “inventor” da predestinação?). “Jesus veio para estender sua graça sobre todo o mundo”. (Trechos extraídos do Artigo de Joel Beeke – João Calvino como Professor de Evangelismo)
O Pai não irá mostrar “apenas em um canto, o que a verdadeira religião é, mas Ele enviará Sua voz aos limites extremos da terra”. [1] Jesus veio “para estender Sua graça sobre todo o mundo”. [2] E o Espírito Santo descendo para “alcançar todos os confins e extremidades do mundo”. [3] Em suma, uma incontável multidão “a qual será levantada por toda a terra”, irá ser nascida de Cristo. [4] E o triunfo do reino de Cristo irá se tornar manifesto em qualquer lugar entre as nações. [5]

Como irá o Deus Trino estender o seu reino através do mundo? A resposta de Calvino envolve tanto a soberania de Deus como a nossa responsabilidade. Ele diz que a obra do evangelismo é obra de Deus e não nossa, mas que Ele usará os Seus servos como Seus instrumentos. Citando a parábola do semeador, Calvino explica que Cristo semeia a sua palavra de vida em todo o lugar (Mt 13:24-30), fazendo crescer Sua Igreja não por meios humanos, mas pelo poder celestial. [6] O evangelho “não cai das nuvens como chuva”, no entanto ele é “trazido pelas mãos de homens que vão aonde Deus os mandou”. [7] Jesus nos ensina que Deus “usa o nosso trabalho e nos impulsiona para ser Seus instrumentos no cultivo do Seu solo”. [8] O poder reside em Deus, mas Ele revela a Sua salvação através da pregação do evangelho. [9] O evangelismo de Deus causa o nosso evangelismo. [10] Nós somos os seus cooperadores, e Ele nos permite participar da “honra de constituir Seu Filho governador do mundo inteiro”. [11]

Calvino ensinou que o método ordinário de “tornar coletiva a igreja” é por meio da voz exterior dos homens; “porque Deus mesmo pode trazer por sua secreta influência, no entanto ele ainda emprega a agência do homem e desperta em nós uma ansiedade sobre a salvação um do outro”. [12] Calvino vai mais longe, chegando a dizer: “Nada retarda mais o progresso do Reino de Cristo do que a insuficiência dos ministros”. [13]

[1] Comentário em Miquéas 4:3.

[2] João Calvino, Sermons of M. John Calvin on the Epistles of S. Paule to Timothy and Titus, trans. L. T. (Edinburgh: Banner of Truth Trust reprint, 1983), sermon on 1 Timothy 2:5-6, pp. 161-72.

[3] Comentário em Atos 2:1-4.

[4] Comentário nos Salmos 110:3.

[5] T.F. Torrance, Kingdom and Church (London: Oliver and Boyd, 1956), p. 161.

[6] Comentário em Mateus 24:30.

[7] Comentário em Romanos 10:15.

[8] Comentário em Mateus 13:24-30.

[9] João Calvino, Institutes of the Christian Religion, ed. John T. McNeill and trans. Ford Lewis Battles (Philadelphia: Westminster Press, 1960), Book 4, chapter 1, section 5.

[10] Comentário em Romanos 10:14-17.

[11] Comentário nos Salmos 2:8.

[12] Comentário em Isaías 2:3.

[13] Jules Bonnet, ed., Letters of Calvin, trans. David Constable and Marcus Robert Gilchrist, 4 vols. (New York, reprint), 4:263.

 

 
 


Examinando e Expondo a Palavra de Deus aos Nossos Dias:

Isaías 1:18-20 "Vinde, pois, e arrazoemos, diz o SENHOR; ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a lã. Se quiserdes e me ouvirdes, comereis o melhor desta terra. Mas, se recusardes e fordes rebeldes, sereis devorados à espada; porque a boca do SENHOR o disse."

Atos 17:2-3 "Paulo, segundo o seu costume, foi procurá-los e, por três sábados, arrazoou com eles acerca das Escrituras, expondo e demonstrando ter sido necessário que o Cristo padecesse e ressurgisse dentre os mortos; e este, dizia ele, é o Cristo, Jesus, que eu vos anuncio."

Permissão é livremente concedida a todos que quiserem fazer uso dos estudos, artigos, palestras e sermões colocados neste site. Pedimos, tão somente, que indiquem a fonte e não modifiquem o seu conteúdo. Apreciaríamos, igualmente, a gentileza de um e-mail indicando qual o texto que está utilizando e com que finalidade (estudo pessoal, na igreja, postagem em outro site, impressão, etc.).

Copyright©2005 Todos os Direitos Reservados
solanoportela@solanoportela.net

 

 


Conheša o Site da Igreja Presbiteriana do Brasil

O SANGUE
Resenha do livro de Benny Hinn, originalmente publicado na revista Fides Reformata.

BEM VINDO, ESPÍRITO SANTO
Resenha do livro de Benny Hinn, originalmente publicado na revista Fides Reformata.

FOLLOWING JESUS WITHOUT EMBARASING GOD
Resenha do livro de Tony Campolo, originalmente publicado na revista Fides Reformata.

ENCONTROS COM DEUS
Resenha do livro de Valéria Martins, originalmente publicado na revista Fides Reformata.

A SEDUÇÃO DA IMAGINAÇÃO TERMINAL - UMA ANÁLISE DAS PRÁTICAS DISCURSIVAS DO FUNDAMENTALISMO AMERICANO
Resenha do livro de Alexandre de Carvalho Castro

 

Agenda Serm§es Artigos Palestras Links Home