Adicionar aos Favoritos :: Entrar em Contato  
   
 

CALVINISMO
De autoria do famoso estadista holandês Abraham Kuyper, este livro apresenta a coerência da visão calvinista da vida, firmada nas escrituras. Leia a resenha escrita pelo Rev. Itamar Alves de Araújo.

SOLA SCRIPTURA
Prefácio escrito para o livro do Rev. Paulo Anglada, ministro presbiteriano em Belém, PA. O livro traz o brado de SOLA SCRIPTURA com veemência e clareza como antídoto ao veneno contemporâneo do subjetivismo e existencialismo do homem sem Deus, que teima em se infiltrar na igreja cristã.

EU PREGAR?
Prefácio escrito para livro do Presb. Samuel Junqueira, da Igreja Presb. de Santo Amaro, em S. Paulo. Um livro destinado a pregadores leigos, com ensinamentos e sermões ilustrativos.

LEI E GRAÇA
Prefácio escrito para o livro do Rev. Dr. Mauro Meister, professor do Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper, da Universidade Mackenzie, um livro que explica como compreender esses grandes temas doutrinários, na Palavra de Deus.

A VIDA DEPOIS DA REENGENHARIA
Prefácio escrito para o livro "Empregue o Seu Talento" (S. Paulo: Cultura Editores Associados, 1999), de Gutemberg Macedo, presidente da Gutemberg Consultores, em S. Paulo. Um livro secular que examina as últimas tendências nas áreas de emprego e conexões empresariais de executivos.

AS IMPLICAÇÕES PRÁTICAS DO CALVINISMO
Prefácio para o livro de A. N. Martin, publicado pela Editora Os Puritanos.

O EVANGELHO DE HOJE: AUTÊNTICO OU SINTÉTICO?
Apresentação à edição brasileira do livro de Walter Chantry (S. Paulo: Ed. Fiel, 1980), tradução de Today's Gospel - Authentic or Synthetic, originalmente publicado Banner of Truth.

 

 
Salmo 73

A. Duas premissas básicas:

1 Com efeito, Deus é bom para com Israel, para com os de coração limpo.

Primeira proposição: DEUS É BOM.

Não podemos nunca esquecer esta premissa. Deus é justo. Ele não erra. Mesmo que não entendamos nada. Mesmo que estejamos perplexos. (Israel = Seu povo, os de coração limpo - o verdadeiro Israel)

2 Quanto a mim, porém quase me resvalaram os pés; pouco faltou para que se desviassem os meus passos.

Segunda proposição: NÓS SOMOS FRACOS. O contraste com a firmeza de Deus.

B. A Inveja, perante a prosperidade do Ímpio.

3 Pois eu invejava os arrogantes, ao ver a prosperidade dos perversos.

Nossas inquietações para com as coisas ao nosso redor (3-12). Visão fixada no presente, temporal, limitada. Não possuímos a perspectiva de DEUS. Não podemos enxergar a razão de sua longanimidade. Muitas vezes ela está inserida nos "propósitos insondáveis de DEUS."

4 Para eles não há preocupações; o seu corpo é sadio e nédio.

5 Não partilham das canseiras dos mortais, nem são afligidos como os outros homens.

6 Daí a soberba os cinge como um colar e a violência que os envolve como um manto.

7 Os olhos saltam-lhes da gordura; do coração brotam-lhe fantasias.

8 Motejam e falam maliciosamente; da opressão falam com altivez.

9 Contra os céus desandam a boca, e a sua língua percorre a terra.

C. A influência e arrogância do ímpio, em sua falsa segurança.

10 Por isso o seu povo se volta para eles e os têm por fonte de que bebe a largos sorvos.

O Povo de Deus se volta para os prósperos nesta vida e olham para eles como fonte de suprimento de todas as necessidades e orientação.

11 E diz: Como sabe Deus? Acaso há conhecimento no Altíssimo?

D. A murmuração e questionamento interno do salmista.

12 Eis que são estes os ímpios; e sempre tranqüilos, aumentam suas riquezas.

Murmuração interna. Possui pensamentos indignos,com relação a justiça de Deus. Descarta as diretrizes bíblicas, com relação à pureza de vida (v. 13 - questiona a santidade!), em função das aflições temporais (v. 14)

13 Com efeito, inutilmente conservei puro o coração e lavei as mãos na inocência.

14 Pois de contínuo sou afligido, e cada manhã castigado.

E. Momento de reflexão interna, do Salmista.

15 Se eu pensara em falar tais palavras, já aí teria traído a geração de teus filhos.

Pausa para reflexão. A sabedoria de ASAF. Cala quando devia calar. Pesou a importância de suas palavras para a congregação, mesmo não conseguindo compreender (v. 16).

16 Em só refletir para compreender isso, achei mui pesada tarefa para mim.

F. A aproximação de Deus, no meio da perplexidade.

17 até que entrei no santuário de Deus e atinei com o fim deles.

Como conseguiu aceitar os desígnios de DEUS? Aproximando-se MAIS de DEUS. Procurando MAIS a Deus. Entrando em seu santuário.

G. O discernimento do fim do ímpio.

18 Tu certamente os pões em lugares escorregadios e os fazes cair na destruição.

19 Como ficam de súbito assolados! Totalmente aniquilados de terror.

20 Como ao sonho, quando se acorda, assim, ó Senhor, ao despertares, desprezarás a imagem deles.

H. Vergonha do salmista, pelos seus questionamentos.

21 Quando o meu coração se me amargou e as entranhas se me comoveram,

22 eu estava embrutecido e ignorante; era como um irracional à tua presença.

I. A segurança do Salmista na providência de Deus e as suas obrigações para com Ele.

23 Todavia estou sempre contigo; tu me seguras pela minha mão direita.

A segurança eterna do crente, retratada nesses dois versos (23 e 24).

24 Tu me guias com o teu conselho, e depois me recebes na glória.

25 Quem mais tenho eu no céu? Não há outro em quem eu me compraza na terra.

26 Ainda que a minha carne e o meu coração desfaleçam, Deus é a fortaleza do meu coração e a minha herança para sempre.

27 Os que se afastam de ti, eis que perecem; tu destrois todos os que são infieis para contigo.

28 Quanto a mim é bom estar junto a Deus; no SENHOR Deus ponho o meu refúgio, para proclamar todos os seus feitos.

O resultado final da aproximação com DEUS, mesmo perante nossa perplexidade e falta de entendimento, mesmo perante o nosso sofrimento e nossas tribulações, é a proclamação não de nossas angústias, mas dos feitos de DEUS.

 
 


Examinando e Expondo a Palavra de Deus aos Nossos Dias:

Isaías 1:18-20 "Vinde, pois, e arrazoemos, diz o SENHOR; ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a lã. Se quiserdes e me ouvirdes, comereis o melhor desta terra. Mas, se recusardes e fordes rebeldes, sereis devorados à espada; porque a boca do SENHOR o disse."

Atos 17:2-3 "Paulo, segundo o seu costume, foi procurá-los e, por três sábados, arrazoou com eles acerca das Escrituras, expondo e demonstrando ter sido necessário que o Cristo padecesse e ressurgisse dentre os mortos; e este, dizia ele, é o Cristo, Jesus, que eu vos anuncio."

Permissão é livremente concedida a todos que quiserem fazer uso dos estudos, artigos, palestras e sermões colocados neste site. Pedimos, tão somente, que indiquem a fonte e não modifiquem o seu conteúdo. Apreciaríamos, igualmente, a gentileza de um e-mail indicando qual o texto que está utilizando e com que finalidade (estudo pessoal, na igreja, postagem em outro site, impressão, etc.).

Copyright©2005 Todos os Direitos Reservados
solanoportela@solanoportela.net

 

 


Conheša o Site da Igreja Presbiteriana do Brasil

O SANGUE
Resenha do livro de Benny Hinn, originalmente publicado na revista Fides Reformata.

BEM VINDO, ESPÍRITO SANTO
Resenha do livro de Benny Hinn, originalmente publicado na revista Fides Reformata.

FOLLOWING JESUS WITHOUT EMBARASING GOD
Resenha do livro de Tony Campolo, originalmente publicado na revista Fides Reformata.

ENCONTROS COM DEUS
Resenha do livro de Valéria Martins, originalmente publicado na revista Fides Reformata.

A SEDUÇÃO DA IMAGINAÇÃO TERMINAL - UMA ANÁLISE DAS PRÁTICAS DISCURSIVAS DO FUNDAMENTALISMO AMERICANO
Resenha do livro de Alexandre de Carvalho Castro

 

Agenda Serm§es Artigos Palestras Links Home